• Consultoria Acústica ao Projeto do Novo Pavilhão Multiusos de Luanda
    Consultoria Acústica ao Projeto do Novo Pavilhão Multiusos de Luanda
  •  Painéis Acústicos CORKSOUND em Aglomerado Negro de Cortiça
    Painéis Acústicos CORKSOUND em Aglomerado Negro de Cortiça.
  • Câmara anecóica do ITeCons, Coimbra
    Câmara anecóica do ITeCons, Coimbra

Impacto Ambiental

AVALIAÇÃO PROSPETIVA DO IMPACTO AMBIENTAL NO AMBIENTE EXTERIOR ASSOCIADO A FONTES DE RUÍDO


– Está a planear uma nova via de tráfego e quer saber qual a sua influência na envolvente próxima?

– Pretende reduzir o ruído a nível municipal e necessita de assessoria técnica? 

– Está a planear uma nova zona de lazer e descanso no exterior e pretende saber quais as melhores medidas de minimização de ruído a implementar?

 

CONTACTE-NOS JÁ!

 

Saber mais…


Sabia que em Portugal a população exposta a ruído acima dos valores limite em zonas sensíveis como áreas habitacionais, com escolas ou hospitais, ultrapassou em 2010 as 811 mil pessoas?

A elaboração de estudos ambientais na componente ruído pode ser tipificada nas seguintes fases (poderão não existir todas em função do objectivo do estudo):

1. Descrição do ambiente acústico no local;

2. Identificação de critérios de avaliação;

3. Previsão de impactes;

4. Avaliação de impactes;

5. Adopção de medidas de minimização.

1. Descrição do ambiente acústico no local

A caracterização da situação existente requer a realização de medições acústicas. O indicador de ruído ambiente exterior é o nível sonoro de longa duração, LAeq,LT expresso em dB(A). Os intervalos de tempo de medição são escolhidos de modo a abranger todas as variações significativas da emissão e transmissão do ruído. A melhor localização dos pontos de medição, focalizada nos receptores sensíveis, é determinada, caso a caso, em função da variação espacial dos níveis de pressão sonora do ruído. A área de influência do projecto depende das suas características, recomendando-se uma caracterização cartográfica da situação existente. Um raio da ordem das centenas de metros a partir do limite da instalação poderá ser suficiente na maior parte das instalações fixas. Há que identificar as fontes sonoras relevantes (tráfego rodoviário/ferroviário/aéreo, indústria,etc.) e a ocupação sensível (habitações, escolas, hospitais e espaços de recreio e lazer utilizados pelas populações como locais de recolhimento).

2. Identificação de critérios de avaliação

Os critérios de avaliação resultam da adaptação das regras estabelecidas no RGR para actividades ruidosas e para infra-estruturas de transporte, e da aplicação do conceito de “impacte ambiental”. Não é permitida a instalação e o exercício de actividades ruidosas permanentes em zonas classificadas como sensíveis nos planos municipais de ordenamento do território; excluem-se  pequenas unidades de comércio e de serviços destinadas a servir a população local, sem funcionamento no período nocturno. Em fase de construção, estamos perante obras de construção civil que podem   constituir actividades ruidosas temporárias – nos termos do artigo 14º do RGR, estas actividades estão interditas em diversas situações.

3. Previsão de impactes

A previsão dos níveis de ruído é o passo mais crítico da avaliação. E o aspecto mais relevante a ter em conta é que, em espaço livre, a propagação do ruído diminui com a distância à fonte. Basicamente, há que considerar dois tipos de fonte sonora, fonte pontual e fonte em linha, em que a propagação das ondas sonoras ocorre respectivamente de modo semiesférico ou semi-cilíndrico.

4. Avaliação de impactes

A comparação das previsões de níveis sonoros com os critérios de avaliação identificados permite avaliar se o impacte associado ao projecto é ou não significativo. Um projecto só poderá ser aprovado se o seu impacte na componente acústica do ambiente for conforme com o regime legal sobre a poluição sonora. Caso as previsões apontem no sentido de haver violações às disposições legais, considera-se que há impacte significativo. As situações críticas têm de ser claramente referenciadas e são obrigatoriamente objecto de medidas de minimização. As situações de fronteira também devem merecer especial atenção, atendendo às incertezas dos métodos de previsão.